7 crenças limitantes que te prendem na roda do sofrimento

7 crenças limitantes que te prendem na roda do sofrimento

É preciso ser uma nova pensadora, entender que existe um novo pensamento, um novo estilo vida. Um novo estilo de ser. Uma transformação que ajuda a gente a ver o mundo de um jeito único. Por isso é tão importante enfrentar essas sete crenças limitantes que prendem você e impedem seu crescimento.

Não ser melhor nem pior do que ninguém, apenas sendo diferente. Fazendo diferente. Entendendo os sinais e agindo de acordo com eles, não só respondendo a eles e esperando sentada pela oportunidade. É preciso agir, vivenciar.

Enquanto uma coisa é você estar viva, outra bem diferente é ter vivacidade, se descobrir, ter planos, ter metas. Ter amor pela vida.

As crenças limitantes te prendem. Enfrentá-las é o único jeito de impedir que elas te segurem em uma roda de sofrimento. Confira então sete crenças limites e como enfrentá-las!

7 crenças limitantes que te prendem na roda do sofrimento

Crença Limitante #1 – “Eu já sei!”

Uma das crenças mais limitantes que existe começa sempre com um “eu já sei”. Reaprender é tão importante quanto aprender. Só saber não faz a menor diferença se você não colocar aquele ensinamento para funcionar e não continuar se atualizando.

Cada reaprender é uma nova visão de mundo. Tem muita coisa que existe na vida que você não sabia que existia, então não pare de aprender. Quando você entrar no novo pensamento, vai descobrir coisas sobre você que você nem sabia que sabia. Tem muita coisa sobre você que você não sabe e é isso que trava sua vida.

Uma bola de chumbo te prendendo já que você é reativa, briga com as pessoas, está insatisfeita com aquilo que você não sabe que não sabe sobre você. Quando a gente não sabe o que não sabe sobre a gente a gente fica nervoso, ansioso, tenso. Tudo vira uma roda de sofrimento. É preciso sair dela.

7 crenças limitantes que te prendem na roda do sofrimento

Crença Limitante #2 – “Fulano conseguiu e eu ainda estou aqui!”

Esqueça a comparação. Se fulana viajou de novo e nesse ano você não fez viagem nenhuma enquanto a sicrana fez e o filho dela comprou um carro novo com você não conseguindo nem trocar de carro velho, acredite, você está na roda da comparação.

Está perdida na autocrítica, na ideia do “como eu sou burra! Como eu sou idiota!”, ou pior, se deixando levar pelo “como eu sou mole!”. Se diminuindo, sempre dizendo “sim” quando queria dizer “não”. Não sendo quem você quer realmente ser, pois acha que não suficiente.

A autocrítica é tão perigosa que traz dores no corpo, o sofrimento é real. Quando se critica demais existe uma perda de saúde, tanto mental, quanto física. Você se compara com as outras pessoas, se julga, se perde na preguiça e na culpa. Esses são pensamentos que te mantém presa à roda de sofrimento. E a roda é um ciclo.

Enquanto você está dentro dela, ela vai rodando e continuando a rodar. E você dentro gerando cada vez mais aquela sensação de que você não é nada. Aquele sentimento de que você está nadando, nadando e nunca chega na praia. Como se continuasse fazendo sem sair do lugar.

Enquanto você não se valoriza, ninguém fará nada por você. E não adianta se sentir injustiçada. É a roda do sofrimento que faz isso com você. É preciso chegar nesse ponto de conhecimento, entender que, quanto mais está parada, pior. Fica rodando nela, sem vontade de viver, quando vê, passou o dia se julgando e se críticando, repetindo e vivenciando esse sentimento sem conseguir sair desse ciclo.

Muita gente acha que não tem mais idade para aprender, chegam em uma idade em que acham que a vida acabou, que não tem mais o que fazer e continuam se comparando, presos a essa roda de sofrimento. Você só acha que essa idade já passou, pois se compara. Se você acredita que a sua idade te limita é porque você está comparando sua idade com outas pessoas. E o grande problema é que você não sabe se essas impressões são reais.

Pior ainda, quando você se limita pela sua idade, você envelhece, acaba aparentando ser mais velha do que você é. Um ciclo vicioso onde o resultado são dores, impaciência e, o pior de tudo, ficar tanto tempo se comparando com os outros e nem perceber suas conquistas. Não valorizar o que conseguiu.

E não se engane, isso é a ciência do desenvolvimento pessoal. Seu pensamento impacta diretamente no funcionamento de seu corpo, daí vem a somatização e o pensamento impactando em seu corpo. Você não é uma máquina. Não vai quebrar com o tempo se cuidar bem de você. E isso é uma crença limitante, podemos ver o tempo passar e nos tornarmos melhores ainda.

Não percebemos isso porque a maioria das pessoas ao nosso redor também está em suas rodas de sofrimento. O normal é um esgoto e quando você está no esgoto, no primeiro dia você sente o cheiro e ele te incomoda, mas, no segundo, no terceiro dia, você se acostuma com o cheiro. Na sua vida, você se acostuma com pouco, com a falta, com a ideia de se comparar e se enxergar menor.

Essa comparação provoca uma espécie de variação dentro dessa crença limitante, uma em que você apenas repete que não tem dinheiro. Você repete isso tantas vezes que nem percebe o que está fazendo, já que verbaliza, extrapola a linguagem. Aquilo que você fala, você cria.

“Mas eu não tenho mesmo!”, talvez você não tenha dinheiro hoje porque ontem não investiu em seu desenvolvimento. O fato de você não ter o dinheiro deveria ser o motivo e a razão para procurar alguma ajuda. Fazer algo. Agir. Procurar uma solução. Se você está sem dinheiro, talvez seja porque ontem não pediu ajuda a ninguém, porque quis fazer tudo sozinha.

Não é porque o espaço é escasso, muito menos, porque você não merece, mas porque tem atitudes e comportamentos que estão te prendendo nisso. Você não tem dinheiro porque ontem você não mudou seus pensamentos, porque ontem não escolheu se desenvolver. Talvez tenha até escolhido agradar mais aos outros do que a pessoa mais importante da sua vida: você.

Quando você investe, arrisca e ousa, vai lá e faz isso agora para si mesma, o universo abre as portas. Portanto, toda oportunidade pode te levar para frente, então, não procrastine, não deixe para depois. Não existe outra oportunidade, cada um desses momentos é único. Quando você diz que “vai só em uma próxima”, já está perdendo. Isso passará para sua vida, ela vai passar, até você perceber que ficou tudo para trás.

7 crenças limitantes que te prendem na roda do sofrimento

Crença Limitante #3 – “Não tenho tempo para nada!”

A terceira crença limitante que te deixa preso à roda do sofrimento talvez seja uma das coisas mais óbvias que você perceberá trazendo uma quantidade enorme de obstáculos em sua vida. Muito provavelmente você toma esse veneno todo dia e não sabe.

É relativamente normal repetir o quanto você não tem tempo. A crença de que você carrega isso não só te mantém na roda, ela te amarra. O “eu não tenho tempo” é um carcereiro. Quando você diz que não tem tempo é porque acha que o tempo é escasso e você está preso na escassez.

E não ter tempo não é chique, é simplesmente um impedimento para você ir além. Nosso novo pensamento coloca tempo na sua vida, e não estou falando de produtividade, alta performance, ou se matar de trabalha. Seu tempo te fará viver a vida e não passar pela vida.

Colocar abundancia em sua vida é ter tempo para aplicar em seu desenvolvimento pessoal. Não existe outro jeito, se quer abundancia e prosperidade, precisa ter tempo para desenvolver isso.

O Bill Gates e a Oprah Winfrey têm 24 horas no dia igual a você e se eles conseguem tudo que fazem. Você também conseguirá. Quanto mais você faz, mais tempo você terá. Quanto mais você realiza, mais tempo terá. Tudo vem com glória e com naturalidade, sem luta e sem a necessidade de apanhar. Basta ter tempo.

7 crenças limitantes que te prendem na roda do sofrimento

Crença Limitante #4 – Não pensar nas possibilidades

Sem opções você estará sempre sufocado em seu caminho. Sa pessoa cismou que não tem dinheiro e “que não vai dar”, então ela nem pensa em outra possibilidade e cai em um beco sem saída. Acaba nem se esforçando em procurar uma outra solução ou verificar outras escolhas

Mais do que isso, talvez você já esteja presa nesse ciclo, então é preciso se permitir ser humilde e buscar ajuda e novas possibilidades. O Problema é que muita gente não pede por arrogância. E arrogância te leva sempre para a escassez.

Sair dessa roda te obriga a quebrar suas amarras, principalmente aquela vontade que você tem de não incomodar. Quase sempre isso vem com o outro lado, aquele de adorar ser incomodada e passar de boazinha. Fuja disso.

É por só querer agradar que você fica presa nas impossibilidades, pois não consegue pensar, prever, criar ou até atrair possibilidades. Sua mente está tão escassa de opções, tão presa e limitada, que não pensa nas possibilidades.

E isso não é só no trabalho, é na vida, com os amigos, com a família, conhecidos e em todos relacionamentos. Você não pensa na solução, só no problema.

Se você não tem ainda o que você quer, é porque está no nível inferior de desenvolvimento, então é preciso comunicar você mesma que precisa chegar nesse próximo nível.

O universo não está te vendo, então não se esconda. Fale. Busque. Se mostre. O universo precisa saber o que você quer. O mundo precisa ver você. Se conecte às pessoas, coloque sua foto no perfil das redes sociais. Você precisa ser vista e reconhecida.

7 crenças limitantes que te prendem na roda do sofrimento

Crença Limitante #5 – “Será que eu vou ter os mesmos resultados da Priscila?”

É fácil achar as pessoas de sucesso chegaram fácil lá no topo. Acredite, elas não chegaram. Ninguém nasceu pronto ou sempre esteve nessa forma. Tudo é crescimento. Se serviu para elas, servirá para você.

Aquilo que você admira é uma transformação. É o resultado de um caminho. Elas não eram vistas, então você pode fazer o mesmo. Enquanto você achar que suas amigas conseguem esse resultado e você não, então não terá nenhum resultado. Como se estivesse presa a essa roda do sofrimento, já que está se comparando, se diminuindo.

Quando você pensa que alguém pode ter um resultado e você não, você está se diminuindo. Se acha que só funciona para os outros e não para você, o que você precisa mudar o que pensa. Entender que pode ser igual ou até maior.

Mas precisa, sobre tudo, entender que essas pessoas que você acha que não consegue chegar, saíram da roda do sofrimento e chegaram onde chegaram. Existe um complexo sistema de pensamentos e cada uma vai ter a sua evolução. Se conseguiu até hoje é porque não deu o próximo passo.

7 crenças limitantes que te prendem na roda do sofrimento

Crença Limitante #6 – “Será que é para mim?”

Umas das crenças limitantes que mais tem jogam para baixo é, justamente, essa insegurança. Se você está começando nesse caminho, nesse desenvolvimento, e ainda está tentando descobrir se isso é para você, tire isso de seu caminho a siga em frente.

O problema é que você se faz de pequena, mas precisa acreditar na transformação. Entender que tudo é um método, por isso é um processo de passo a passo onde o objetivo é a eficácia. Mas o caminho é dinâmico e desenhado para cada personalidade, portanto, você escolhe o que você deseja ele vai te dar os resultados.

Mas ninguém é feliz só com isso, com os lucros, não tem a ver apenas com o resultado financeiro. Quando você mudar, as pessoas ao seu redor mudam.

Um lugar onde só tem reclamações, contendas, críticas e dívidas, o dinheiro não fica por ali. O dinheiro não se multiplica em um lugar onde não existe paz e tranquilidade. Para você progredir é preciso de alianças, de seu marido, de seus sócios, de todos ao seu redor. Você não está sozinha. Portanto, se una às pessoas.

E sempre tenha em mente, se você não tem, mas quer, é porque até hoje não se desenvolveu nesse sentido, não deu o primeiro passo. Por isso é tão importante continuar no caminho que traçou.

7 crenças limitantes que te prendem na roda do sofrimento

Crença Limitante #7 – “É só mais um curso!”

Acredite, nenhum é “só”. Nosso treinamento nunca para. Conhecimento é nosso bem mais precioso e precisa ser sempre renovado. É como uma higiene, você toma banho todo dia, lava as mãos e mais um monte de preocupações. Com a informação o caminho é o mesmo.

Pensa comigo, você acha que um médico famoso ou um veterinário bem-sucedido para de estudar e treinar? Será que um cabeleireiro disputado para de renovar seus conhecimentos? A resposta para ambas questões é “não”.

Quando você para de estudar, seu cérebro envelhece e você fica rasa. Estudar é a melhor coisa que existe, já que ninguém vai tirar isso de você. Assim como você não parará nunca de crescer. E crescimento é sucesso.

Melhor ainda, o conhecimento vai fazer você ter sempre dinheiro, porque você o multiplica, busca novas soluções e opções. Não fica nunca presa em um obstáculo ou beco sem saída.

Do contrário, quando você para de aprender, você morre. Se não por fora, com certeza por dentro. Você escolhe seu “mundo”. Ou você está no mundo das possibilidades, ou está no mundo da escassez. Não fique em cima do muro. Quanto mais você for um “murista”, mais terá a tendência de cair no mundo da escassez. Tudo vai te empurrar para lá.

O único jeito de quebrar isso tudo é quando você continua se desenvolvendo. O mundo ordinário é aquele que segue uma ordem e você deve viver no mundo extraordinário, onde as crenças limitantes não interromperão seu caminho.


Deixe Aqui o seu comentário:

You May Also Like