10 lições que aprendi com a vida e morte de Louise Hay que curaram a minha vida

Louise Hay

A notícia da morte de Louise Hay me trouxe uma série de emoções, insights junto com as inúmeras mensagens que recebi de alunos, mentorados e parceiros.

Hoje, 30 de agosto de 2017, depois de 90 anos de estadia no planeta azul, ela se foi.

A sensação de gratidão supera a surpresa da tristeza e me impulsiona a cada vez mais ser um fio condutor da cura e transformação que ela foi e tem sido pra mim.

O título desse artigo foi uma dica do Bruno Juliani e confesso que senão fosse ele eu não teria a ideia de escrevê-lo hoje ainda sob o impacto da notícia. Obrigada BJ.

E a partir da dica do Bruno eu começo essa lista com os 10 ensinamentos que Louise Hay trouxe para a minha vida.

As 10 ensinamentos que Louise Hay  trouxe para a minha vida

Lição número 1: cerque-se de pessoas com os mesmos ideais que você.
Cerque-se de pessoas que tenham o mesmo objetivo que você. Quando Louise inaugurou a sua editora, a Hay House, ela convidou outros escritores a fazerem parte do legado dela, entre eles: Esther e Jerry Hicks, Brian Tracy, Greg Braden entre outros. Um legado nunca é construído sozinho e um dos pilares do meu legado é trazer para junto de mim outras pessoas que sentem o mesmo significado que eu sinto para o desenvolvimento humano no Brasil.

Lição número 2: observe onde moram suas resistências
Foi no antigo orkut, quando ouvi falar sobre Louise Hay a primeira vez, confesso que resisti bastante, eu fugia dos ensinamentos dela, evitava e pensava ser piegas. Dentro da minha resistência eu hoje percebo o quanto eu precisava daquele ensinamento e ao mesmo tempo como recusamos o que é melhor para nós por longos tempos. Eu  somente me abri para Louise Hay quando me vi no auge do meu desespero e através de uma sincronicidade enviada pelo universo.

Lição número 3: observe com atenção plena  as sincronicidades
Dois anos depois de ter ouvido falar sobre Louise Hay pela primeira vez, fui visitar uma grande amiga, a Fabiana em Búzios e lá ncontrei no meio dos livros dela, um livro chamado Você pode curar sua vida – Exercícios. Pensei ser interessante que aquela escritora aparecia tantas vezes para mim, trouxe o livro para casa e o coloquei na estante no meio de tantos outros, mais uma vez eu resistia.

Lição número 4: após observar as sincronicidades se ponha em ação
Passaram-se cerca de dois anos a mais e eu no auge do meu desespero querendo voltar a dirigir sendo diagnosticada por psicólogos e terapeutas de forma desagradável pra mim, chego em casa e solicito ao Universo uma ajuda.

Me coloquei mediante a minha estante, respirei fundo e peguei um livro aleatório no meio das dezenas de outros. Ali estava ele: Você pode curar sua vida – Exercícios. Abri ainda com os olhos fechado uma página qualquer e era mais uma vez uma sincronicidade, havia caído no capítulo Medos e Fobias.

Bem naquele momento, havia muitas coincidências para serem ignoradas, segui o que ela disse e menos de 30 dias depois eu estava completamente curada da fobia de dirigir e guiando meu carro zero para casa.

Você pode assistir um pouco mais sobre essa história nesse vídeo:

Conteúdo guardado é ação reprimida.  Pratique o aprendeu.

Ali eu descobri que poderia apoiar outras pessoas a não se deixarem levar por diagnósticos limitantes e até mesmo a necessidade de tomarem remédios. Eu percebi que havia dentro de mim mesma inúmeras respostas para minhas dores, dificuldades e padrões repetitivos, foi quando nessa busca minha irmã me falou sobre o Coaching.

Ali começava a minha história. Eu estava num emprego que eu detestava, num relacionamento morno e numa vida estável, segura e completamente infeliz. Eu tinha a vida que parecia maravilhosa aos olhos dos outros mas eu não estava bem. E o Coaching veio como uma forma de entregar o trabalho da Louise que pulsava dentro de mim através de uma metodologia porque a meu ver Coaching e Louise Hay se completam infinitamente. Deixei meu emprego e me joguei no empreendedorismo.

Lição número 5: Quando seu coração chamar se jogue.

Há mais arrependimento no que você quer fazer e não faz do que no que você faz somente por fazer. E de arrependimento eu não morro.

O que também aprendi de mais curador com o conteúdo de Louise foi o demonstrar da vulnerabilidade dela, ela falou sobre os abusos que sofreu, dos estupros, dos dois cânceres que venceu, ela se mostrou quem era ela. Esse ainda é um processo de construção pra mim, falar sobre os abusos que eu atrai na minha infância, adolescência e vida adulta ainda me causam estranheza e constrangimento.

Eu apenas me permito fazer isso nos meus grupos e ainda não em público, mas a vida e o legado de Louise me inspiram cada dia mais. E ela também deixa claro que para ela, a demonstração de vulnerabilidade foi uma construção.

Lição número 6: todos nós estamos nos curando e evoluindo a cada minuto.

Quando eu tive a honra de ser convidada pela editora Best Seller para fazer a revisão técnica do livro Viva Bem Agora foi uma das melhores experiências da minha carreira, ali eu percebi o quanto os tradutores e editoras não estão alinhados com a filosofia dos escritores.

Eu já tinha percebido alguns equívocos sérios na tradução do Você pode curar sua vida e mesmo ouvindo frases como: não vai adiantar de nada, entrei em contato com a editora apontando “as falhas de tradução” e eles me contrataram para fazer o alinhamento entre a filosofia de Louise e a tradução para o Português.

Lição número 7: abra mão de ouvir as pessoas que dizem que seus impulsos positivos serão em vão. Vai lá e faça. Seja corajoso e colha os frutos. O meu fruto é ter meu nome escrito no mesmo livro que Louise Hay assinou. Esse é um legado que aquela frase: não vai adiantar tentou apagar.

Louise se mostrou ao mundo, ela não foi somente protagonista da sua história, ela foi também lugar de fala da sua história. Ter lugar de fala é contar sua própria história, ao longo da história da humanidade temos visto milhares de mulheres que não falam por si mesmas. Ser protagonista e ter lugar de fala é um privilégio que somente você pode se dar.

Eu quando percebi que não era convidada para palestrar em grandes eventos de Coaching mesmo me percebendo competente para isso, criei meu próprio evento, o Coaching in Rio, e nunca mais abri mão do meu lugar de fala onde tenho protagonismo.

Quando contamos nossa história pelas nossas próprias palavras, incentivamos o outro a fazer o mesmo e isso é grande.

Lição número 8: não é se escondendo que você vai levar luz ao mundo.

Eu fui uma jovem com autoestima pessoal e profissional muito baixa, extremamente insegura e me sentindo incapaz mesmo com excelentes resultados. Muitos de nós não conseguimos verificar as nossas habilidades e competências através das nossa próprias percepções.

Foi através das frases de Louise e dos ensinamentos dela, principalmente o exercício do espelho que comecei a retirar de dentro de mim toda força necessária para curar e construir a minha própria vida. E hoje levo esses ensinamentos ao outro mesmo ainda me sentindo em processo de transformação.

Lição número 9: Desenvolva-se enquanto desenvolve o outro.

Foram as afirmações positivas com a fórmula ensinada por Louise Hay que desenvolvi muito do que tenho hoje. Quando eu queria deixar o meu emprego eu ouvi que seria difícil conseguir todos os meus direitos numa não demissão mas escrevi afirmações e espalhei pela casa toda e plim foi muito mais fácil do que poderia imaginar.

Quando me lembro dela falar: “…afirmações são como semente jogadas ao solo, a planta ainda não está ali mas ninguém pisa numa semente. Plante suas sementes e espere pacientemente pelos frutos…” Eu entendo que são as nossas palavras que criam o nosso futuro.

Lição número 10: fale e escreva mais sobre o que você quer e não sobre o que você não quer.

Lição bônus:

Crie suas próprias afirmações positivas ou declarações usando a fórmula que aprendi com ela:

Positiva: use apenas palavras positivas sem o nunca, jamais, talvez, etc

Pessoal: você merece que sua afirmação agrade a você pode ser a afirmação mais linda de todas mas senão te agradar imediatamente descarte e busque outra.

Presente: sempre no agora: eu faço, eu sou, eu tenho

Poderosa: use palavras novas e poderosas diferentes daquelas que você usa no seu dia dia. Ouse.

 

A afirmação que eu criei para esse momento de profunda gratidão pelos 90 anos de Louise Hay no planeta azul foi:

Eu me abasteço do melhor de todas as pessoas através do legado que você me deixou e apresento a sua obra sempre que tiver a oportunidade aos que cruzarem o meu caminho.

 

Hey, você já conhece Louise Hay?

 

Vamos juntos!

 

 

 

 


Deixe Aqui o seu comentário:

Você também pode gostar